Cães

Como cuidar de cães idosos

Por Camila Carnicelli – Médica veterinária

O tempo vai passando e mais rápido do que podemos esperar nosso bichinho querido se torna um animal idoso. O que nos alivia é que hoje em dia, com o avanço das pesquisas na medicina veterinária é possível prolongar a expectativa de vida dos animais através da prevenção ou até mesmo do diagnóstico precoce de doenças graves.

Cães de raças grandes são considerados idosos a partir dos sete anos de idade e os de raças pequenas, a partir dos oito anos. Nessa faixa etária ocorrem muitas alterações físicas e comportamentais. A pelagem vai se tornando esbranquiçada, principalmente na face. Muitos animais diminuem a atividade física e passam a dormir mais horas por dia, alterando também a necessidade de ingestão calórica.

Para isso existem no mercado rações específicas chamadas de ‘senior’. Elas possuem menos gordura e mais fibras, o que ajuda na manutenção do peso, menos proteínas, para não sobrecarregar os rins sensíveis dos cães idosos, além de grãos mais fáceis de quebrar, pois os dentes do nosso amigo já não são mais os mesmos.

Os dentes merecem cuidados dobrados nessa fase, pois o acúmulo de tártaro é muito comum e a gengivite que acompanha o tártaro pode ser uma porta de entrada para bactérias na corrente sanguínea, causando problemas graves nos rins e no coração.

A visão, a audição e o olfato também se alteram com a chegada da idade. A ingestão de água também deve ser observada. Fique atento se o seu animal idoso aumentou o consumo de água e a produção de urina, pois os cães estão propensos a desenvolver diabetes nessa fase da vida. Além destes, outros sintomas como a perda de peso e o aumento na ingestão de comida também estão associados à doença.

Algumas raças como o Pastor Alemão, Labrador e o Rottweiler são predispostas a problemas articulares que se agravam na velhice. Suplementos a base de condroitina, quando oferecidos durante toda a vida do animal, ajudam a amenizar esses problemas. Não se esqueça de que todo medicamento ou suplemento deve ser prescrito apenas pelo médico veterinário.

Avaliações clínicas em animais idosos devem ser feitas a cada seis meses. Além de um exame físico completo, devem ser realizados exames de sangue, fezes e urina. A ultrassonografia abdominal periódica ajuda a detectar possíveis alterações nos órgãos, possibilitando um diagnóstico precoce e o início de um tratamento mais adequado. Lembre-se que as vacinas são a principal forma de evitar doenças, inclusive nos velhinhos, e são necessárias durante toda a vida do seu animal.

O processo de envelhecimento nos animais, assim como nos seres humanos, pode variar de acordo com cada indivíduo. O que vai garantir uma aparência mais ‘conservada’ e um organismo mais saudável são os cuidados que ele recebeu ao longo da vida. Por isso é muito importante uma alimentação de boa qualidade, vacinas em dia e visitas periódicas ao médico veterinário, além de todo amor e carinho.

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.