Dicas, Pet, Répteis

Saiba tudo sobre os Jabutis

O jabuti-piranga é um réptil presente em matas e florestas das regiões Nordeste, Norte, Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Esta espécie de jabuti possui o nome científico de Chelonoidis carbonária. É muito comum, no Brasil, pessoas terem o jabuti-piranga como um animal doméstico de estimação.
Dóceis, tranquilos e fascinantes, esses animais são ótimos para famílias com crianças. Muito resistentes, eles não fazem bagunça e dispensam certos cuidados, como vacinas.

Principais Características

  • Possuem uma carapaça dura com desenhos de polígonos em relevo. O centro dos relevos é na cor amarela. A carapaça é de cor cinza escuro (chumbo).
  •  Possuem cabeça retrátil.
  •  As patas deste réptil são formadas (externamente) por escudos na cor preta e amarela ou preta e vermelha.
  •  São onívoros. Portanto, possuem alimentação bem diversificada. Os alimentos mais comuns são frutas, grama, folhas, hortaliças e até carne animal (embora em pouca quantidade).
  •  Habitat: campos abertos, florestas e matas. No Brasil, estão presentes em áreas de Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga e Floresta Amazônica.
  •  Período de reprodução: entre os meses de agosto e janeiro (em média entre duas e quatro desovas por ano). A fêmea bota entre 5 e 15 ovos, em média, por desova. Os ovos são enterrados por ela na terra em local com incidência de luz solar.
  •  Longevidade (tempo de vida): em média, entre 50 e 70 anos (em condições adequadas).
  •  Tamanho: machos adultos entre 50 e 55 cm de comprimento e fêmeas entre 40 e 45 cm. Pesam, em média, entre 5 e 10 quilos.
  •  Principais países em que são encontrados: Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai, Colômbia, Venezuela e Guiana.
  •  Estado de conservação na natureza (risco de extinção): pouco preocupante.

Curiosidades Biológicas

  • O jabuti e a tartaruga pertencem à ordem dos quelônios, isto é, dos répteis com casco. No entanto, de acordo com a biologia, o termo “tartaruga” se refere somente aos quelônios aquáticos, ou seja, que passam a maior parte do tempo na água, como é o caso das tartarugas marinhas ou de água doce. Muitas pessoas chamam, erroneamente, os jabutis de tartarugas.
  • O jabuti-piranga é também conhecido, em algumas regiões do Brasil, pelo nome de jabuti-vermelho.
  • Outra espécie de jabuti, embora pouco conhecida no Brasil, é a jabuti-tinga. Há também os jabutis híbridos, que nascem do cruzamento entre estas duas espécies.
  • O nome desta espécie de jabuti é de origem indígena. Em tupi, significa: “aquele que come pouco vermelho”.
  • A parte inferior da carapaça do macho é afundada, enquanto a da fêmea é mais reta. Essa diferença é para facilitar o acasalamento.

É permitido ter qualquer espécie de jabuti em casa?

No Brasil, quem regula a criação doméstica dos jabutis é o próprio Ibama. De acordo com o órgão, as únicas duas espécies permitidas são o jabuti-tinga e o jabuti-piranga, ambos originárias da América do Sul.
Vale lembrar que todos os jabutis comercializados devem ter sido criados em cativeiro, sempre por criadores autorizados. Na hora da compra, exija nota fiscal, certificado de manejo e também o microchip, que é a identidade do seu jabuti de estimação.
Se você cogita ter um jabuti em casa, precisa conhecer os cuidados que ele requer para viver com muita saúde.
Fácil de criar, o jabuti pode ser mantido no quintal ou no terrário. 
Os jabutis convivem bem com crianças e outros animais. “Mas, se for mordido por um cão ou cair, pode até morrer”, alerta o veterinário Celso Martins, de São Paulo. 

Posso criar meu jabuti solto no jardim?

Ao contrário do que muitos pensam e do que vem sendo a regra na criação dos jabutis, a prática é extremamente contraindicada. O jabuti é um réptil, ou seja, é um animal ectotérmico. Isso significa que ele regula sua temperatura interna a partir de sua temperatura externa.
Isso, por sua vez, tem impactos diretos no metabolismo do pet. Além disso, outros fatores, como a umidade, também influenciam na saúde dos jabutis, de modo que o ideal é criá-los em um terrário.
Embora o jabuti ande devagar, quase parando, pisos lisos são um perigo. “Eles forçam os membros do animal”, diz o veterinário André Grespan, de São Paulo, que recomenda um chão rústico de terra ou grama, mesmo que seja artificial.
Uma casinha de cachorro é um bom abrigo, desde que seja bem aquecida. “Senão o jabuti fica apático e imunodeprimido”, avisa Alexandre Pessoa. Em outras palavras, torna-se presa fácil de doenças como pneumonia, provocada por vírus ou bactérias. Já sintomas como diarreia, corrimento nasal e espuma na boca podem indicar uma interite, inflamação no intestino.

Como deve ser o terrário para a criação de um jabuti?

Em primeiro lugar, o terrário do jabuti deve ser grande o suficiente para que ele possa se virar e se locomover com tranquilidade. Nesse sentido, lembre-se que um jabuti-tinga adulto pode chegar a 70 cm. Atualmente, já existem substratos especiais para terrários desse animal.
Como dissemos acima, a temperatura adequada é fundamental para o bom funcionamento do organismo dos jabutis. Uma vez que eles são originários de locais quentes, como a região Amazônica, a temperatura deve ficar entre 26° e 30°C.
Menos que isso, seu metabolismo pode ficar muito lento, atrapalhando outras atividades, como a alimentação. Aliás, esse pode ser o motivo pelo qual seu jabuti não quer comer.
A umidade é outro parâmetro muito importante para o bem-estar dos jabutis, acostumados a uma umidade média entre 70 a 85%. Um habitat muito seco dificulta a respiração dos jabutis e contribui para o ressecamento do casco e doenças de pele.
Os cuidados com a higiene são simples. “Recolha sempre as fezes e os restos de comida e dê banho em dias quentes”, ensina Celso. Para isso você tanto pode passar um pano úmido como jogar água morna – mas só quando ele estiver visivelmente sujo.

Os jabutis precisam tomar sol?

Sim! Da mesma forma que nós precisamos da vitamina D para a absorção do cálcio, os quelônios também precisam dessa mesma substância para garantir a saúde dos ossos.
Ele precisa de luz solar direta todos os dias. “Os raios ultravioleta ativam substâncias precursoras da vitamina D, nutriente que fixa cálcio nos ossos, o que é fundamental para o jabuti não ficar com o casco mole”, explica o veterinário Alexandre Pessoa, de São Paulo. Além disso, a fonte externa de calor faz todo o seu organismo funcionar de forma mais adequada. Então, se o terrário não dispuser de luz natural, você pode instalar lâmpadas específicas ou mesmo uma comum de 50 watts, que manterá a temperatura entre 25 e 28 graus.
Tendo em vista que a vitamina D é metabolizada a partir da exposição diária aos raios UVB e UVA, é fundamental assegurar que o bichinho tome um banho de sol todos os dias.
Ou, ao menos, que tenha acesso a lâmpadas específicas para répteis que emitam esses raios. Do contrário, eles podem desenvolver sérias deformações no casco. O ideal é que o banho de sol dure, no mínimo, uma hora.

O que os jabutis comem?

Tanto o jabuti-tinga quanto o jabuti-piranga são espécies onívoras, predominante herbívoras. Isso significa que a maior parte da dieta delas é composta de vegetais, frutas e ração.
Hoje em dia já é possível encontrar rações prontas próprias para jabutis que garantem todas as necessidades nutricionais desses quelônios.
“Ofereça uma refeição ao dia, com frutas, legumes, queijo branco e verduras, especialmente as verde-escuras.” Uma vez por semana, carne moída misturada com suplemento de cálcio deve entrar no cardápio.

Fontes: Toda Biologia, Bolg Petz e Saúde Abril

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.