Cães, Dicas, Pet

Pets em quarentena: veja 6 dicas para gastar a energia do seu peludo em casa

Em um período de quarentena e distanciamento social, será que realmente vale a pena arriscar e passear com cachorro na rua? Desde que o novo coronavírus surgiu, as recomendações dos principais órgãos de saúde são para que a população evite ao máximo sair de casa. Para quem tem um bichinho que está acostumado com os passeios diários, isso pode ser um problema. Mas e se a gente te dissesse que é totalmente possível resolver isso? Existem várias formas de fazer o seu doguinho gastar energia dentro de casa – ou até mesmo dentro do prédio. Em tempos de quarentena, essa é a melhor maneira de garantir que tanto você quanto o seu pet fiquem seguros! Confira algumas dicas dadas por um adestrador a seguir!

É possível gastar energia e brincar com cachorro sem sair de casa!


Os cachorros são animais que precisam de atividades físicas diariamente para gastar a energia e manter a saúde em dia. Os passeios são uma ótima forma de fazer isso, mas na situação atual é preciso encontrar uma forma de cansar os bichinhos sem sair de casa. Para dar algumas dicas de como manter uma rotina saudável e cheia de exercícios com o seu cão, conversamos com o adestrador e passeador Max Pablo, do Rio de Janeiro. Ele optou por pausar os serviços de passeio e adestramento por um tempo e vai compartilhar conteúdos e consultoria online para os pais de pet em quarentena na sua página no instagram. Dá uma olhada nas dicas que ele nos passou!

6 dicas de como gastar a energia do cachorro em casa


1) Aproveite para ensinar alguns truques para cachorro!

Já pensou em mostrar alguns truques para o seu cão, como ensinar o cachorro a sentar, deitar ou se fingir de morto? Essa pode ser uma boa maneira de distrair e divertir o seu amigo, além de melhorar as habilidades cognitivas dele. Segundo Max, esses são exercícios de obediência básica e que todo tutor deveria ensinar ao seu bichinho, independente de quarentena. Também existem alguns truques um pouco mais complexos, como ensinar a dar a pata, rolar ou ficar sobre as duas patas, por exemplo.

“Mas como eu vou fazer isso?”, você deve estar se perguntando, e o adestrador explica: “Cada cão tem seus gostos e maneiras de aprender. O ideal é identificar o que ele mais gosta ou não, e sempre usar aquele bom incentivo (petiscos e alimentação)”. A maioria dos cachorros adora ser recompensando quando fazem algo certo e dar um biscoito ou outro petisco pode funcionar muito bem na hora de ensinar truques.

2) Reiki animal e práticas de relaxamento ajudam a preservar a saúde mental do cachorro

Terapias holísticas, como o reiki veterinário, e outras técnicas de meditação também podem ser indicadas na hora de praticar atividades dentro de casa com o seu cachorro. “Exercícios de relaxamento, controle de ansiedade, reiki e meditação ajudam a drenar a energia mental, auxiliando no gasto de energia física”, conta Max. Mas vale lembrar que para certas atividades, como o reiki, é importante que o tutor seja capacitado para isso. Caso contrário, pode procurar um profissional da área que consiga fazer o reiki à distância no animal. Outra forma de acalmar o seu amigo é usar as playlists com músicas indicadas para cães!

3) Aproveite as escadas do seu prédio para gastar a energia do cachorro

Outra alternativa que pode ser bastante benéfica para os cachorros e seus tutores é subir e descer as escadas do seu prédio, se for permitido. “É um exercício excelente e que também ajuda o tutor a ter uma melhor qualidade de vida”, afirma o profissional. Além disso, Max também destaca que o ideal é misturar todos os exercícios possíveis nas escadas para que nem o cão nem o tutor percam a motivação. Por isso, procure alternar os exercícios! Ah, e não se esqueça de sempre lavar bem as suas mãos e higienizar as patinhas do cachorro antes e depois da atividade física. Isso é muito importante!

4) Use as brincadeiras clássicas, como a bolinha de cachorro, para deixar seu amigo ativo

Se o seu amigo é fã de correr atrás de bolinhas (ou outros objetos), não vai ser difícil brincar com o cachorro em casa. Você pode procurar um cantinho do seu apartamento, prédio ou condomínio para isso (lembrando sempre de verificar se é permitido). “Aconselho a usar o corredor para aqueles que moram em apartamento muito pequeno ou tem cães de maior porte, sempre fazendo a higienização necessária antes e depois”, orienta Max. As cordas para brincar de cabo de guerra são ótimas alternativas e eles amam!

5) Invista em brinquedos interativos para estimular a inteligência do cachorro

Existem vários brinquedos para cães que são ótimos para gastar a energia do animal e melhorar a cognição dele. “Brinquedos interativos para cães, como as bolinhas que dispensam ração e petiscos e ossos naturais, vão ajudar nos momentos em que o tutor estiver dormindo ou ocupado”, recomenda o adestrador. Se você não tiver nada disso em casa, pode improvisar com uma garrafa pet: basta fazer alguns furos no plástico e colocar ração ou petisco dentro. O desafio vai estimular o seu cãozinho a encontrar uma forma de liberar a recompensa. Essas táticas também podem ajudar quando você precisa trabalhar de casa.

6) Cães filhotes também precisam de atenção

Além dos adultos, é importante também pensar nos filhotes de cachorro! Essa é uma ótima hora para começar a treinar o seu cão e ensiná-lo técnicas básicas de adestramento. Além disso, você pode usar esse tempinho em casa para criar um vínculo ainda mais forte com o animal, dando muito carinho e atenção para ele. Brinque, ensine e passe bastante tempo com ele!

Passear com cachorro na quarentena: quais são os riscos?


O novo coronavírus é um assunto muito recente e que tem despertado muitas perguntas. Uma delas é se os pets podem desenvolver ou até mesmo transmitir essa doença, mas até o momento não há evidências científicas disso. Em relação aos humanos, a situação é mais complexa e precisa de muitos cuidados para evitar a propagação do vírus. Se o tutor optar por passear com cachorro, ignorando assim as medidas preventivas, corre mais risco de se contaminar – a transmissão da doença ocorre pelo contato com gotículas no ar e superfícies contaminadas, como portas, elevadores e corrimão. Por enquanto, os passeios podem ser mantidos em áreas abertas e sem aglomeração de pessoas, mas a situação pode mudar nos próximos dias. Caso você esteja com sintomas da doença, voltou de viagem ou precise ficar em casa com seu cão por alguma determinação oficial, é preciso manter uma rotina de exercícios em casa para preservar a saúde física e mental do animal.

 

Fonte: Patas da Casa

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.