Dicas, Fatos e Curiosidades, Pet, Roedores

Coelhos: Dicas, Curiosidades e Cuidados

Já pensou em ter um coelhinho? Além de utilizar espaços menores, esses animais são ótimos amigos e são ideais para quem tem crianças, por exemplo.

Coelhos não são roedores!

A maioria das pessoas, quando pensa em um coelho, logo imagina que ele é um roedor, assim como hamsters, twisters e outros tipos de ratinhos domésticos. Verdade é que os coelhos não são considerados roedores e tratá-los como se fizessem parte desta classificação pode gerar alguns problemas para o pet.
Os coelhos são lagomorfos, pequenos mamíferos herbívoros, ou seja, que precisam ser alimentados com material vegetal quase que exclusivamente. Quando oferecemos a eles outro tipo de alimento – que não os apropriados para eles -, podemos causar distúrbios nutricionais graves que podem comprometer sua saúde.
Coelhos e lebres não são roedores e sim lagomorfos especialmente por algumas particularidades: diferentemente dos roedores, esses animais têm quatro dentes incisivos superiores (aqueles de cima, na parte da frente). Dois ficam bem aparentes, os famosos “dentes de coelho”, mas atrás deles, existem outros dois dentes bem mais escondidos. Na porção mandibular, é também dois dentes incisivos, são os “dentes debaixo, da frente”, somando seis dentes na parte da frente no total!
Além dessa variação, os coelhos e lebres não possuem osso peniano (presente em roedores e cães, por exemplo) e o seu escroto está a frente do pênis, na região inguinal, algo bem incomum para outros tipos de animais.
Os lagomorfos, assim como roedores, precisam realizar uma manutenção em seus dentes com certa periodicidade, especialmente se eles não os desgastam naturalmente. O crescimento dos dentes desses animais é contínuo e pode causar muitos problemas quando não cuidado corretamente.

Sobre criar um coelho

Animais independentes e brincalhões, os coelhos são também bastante carinhosos à sua maneira. Silenciosos, você pode ter a certeza que não terá problemas com seus vizinhos.
Apesar de viverem bem em gaiolas, é essencial o momento de brincar e interagir com seu bichinho para não deixá-lo estressado ou deprimido.
Geralmente coelhos não gostam de ser tirados do chão. Por isso, para pegá-los no colo, é indicado que esteja sentado no chão. Dessa forma ele estará muito mais aberto a receber os carinhos oferecidos por seu dono.
Eles são sujeitos a acidentes quando fora de seu território. No caso de sua casa possuir quintal, certifique-se de que ele não vá escapar para a rua. São vítimas constantes de ataques de cães e acidentes de trânsito.
Mais uma coisinha: em época de Páscoa, infelizmente, muitos pais se deixam levar pelo encantamento que os coelhos produzem nas crianças. Assim, acabam adquirindo um indivíduo. Porém, depois que a onda da Páscoa passa, abandonam o bichinho em abrigos ou mesmo em matas.
Sabemos que você não faria isso, mas é importante que seja um divulgador contra esse tipo de postura.

Como é o jeitão dos coelhos

Coelhos precisam de espaço. Muito espaço. Seu jeitão serelepe, agitado, astuto e faceiro não cabe em meio metro quadro. Se você tem coelhos, sabe do que a gente está falando; se não tem, quando tiver – pois ainda ter um -, vai confirmar.

Donos do espaço

Por isso, por conta dessa necessidade de espaço, coelhos cuidam muito bem de seu território. Aliás, tomam posse. E são decididos: resolvem onde vão dormir, onde vão comer, onde vão permanecer mais tempo.
Dessa maneira, são muito objetivos. Se você tentar organizar seu espaço num momento em que ele quer solidão, é capaz de rejeitar você para sempre.

Nem das noites nem dos dias

Coelhos são muito mais ativos no período vespertino e ainda mais quando o crepúsculo se aproxima. Parece que gostam dos pores e despertares do sol. Seu organismo ganha mais vivacidade nessa parte do dia.
A paixão pelas horas crepusculares também se manifesta pelas manhãs, quando o sol está nascendo. Portanto, parece que seu gosto tende mais à luz do sol.

Oh, vida! Oh, céus!

Criadores experientes e biólogos especialistas em coelhos são unânimes ao dizer que esses agitadíssimos animais sentem enfado, chateação. Assim, eles se entediam por qualquer coisa.
Não, não são fresquinhos, como alguns brincam. Eles têm personalidade. É isso. Por isso, é sempre aconselhável você deixar algum brinquedo à disposição. Você pode adquirir um objeto de entretenimento ou simular um, como rolos de papel toalha cheios de ração.

Personalidade própria

Via de regra, indivíduos das mesmas espécies têm comportamento semelhante. Porém, isso parece não acontecer com os coelhos. Pesquisadores dizem que cada indivíduo é mesmo um indivíduo, ou seja, com seus trejeitos e maneiras.
Por isso, é sempre interessante que você avalie bem aquela ideia de levar mais um indivíduo para casa. Pode ser que ambos não se deem muito bem.

Coelhos são interativos

Por isso, muitos criadores dizem que alguns indivíduos são ainda mais, digamos, “carentes” que cães e gatos. Se eles gostarem mesmo de você, vão ficar no seu pé o tempo todo, buscando brincadeiras.
Nesses momentos, eles emitem um som diferenciado. Parece ronronado felino, mas é, na verdade, seus dentinhos batendo um no outro. É assim que coelhos chamam atenção quando estão alegres, contentes.
Quando estão muito, mas muito contentes, eles fazem algo que vai deixar você preocupado se não souber o porquê disso. Coelhos saltam alto, reviram a cabeça de um lado para o outro, se curvam no ar. Na Europa e EUA, esse comportamento se chamada “binky”.

Criancinhas desastradas

Como você viu, coelhos são irrequietos e estão em movimento constante. Por isso, têm grande tendência a se machucar. O problema é que eles não param mesmo quando estão machucados.
Então, é preciso que você ou alguém da família prestem muita atenção à normalidade ou não dos movimentos. Pequenas puxadas de perna enquanto caminham – correm, na verdade -, uma das patinhas menos ativa, lambidas frequentes em determinado local do corpo. Essas e outras posturas podem indicar alguma machucadura.

Coelhos são cecotrófagos

A palavra acima é estranha, a gente sabe. Dá impressão de “algo errado, asqueroso”. Mas é só impressão.
Então, não se assuste se vir algo como seu coelhinho ingerindo as próprias fezes. Pode ser aparentemente nojento, mas não é nada disso. Trata-se de cecotrofia ou cropofagia. Isso ocorre porque o processo digestivo de alguns animais, incluindo coelhos, é diferente.
O bolo alimentar ingerido permanece em fermentação no ceco, parte dos intestinos. Ali, recebe uma série de bons nutrientes que o organismo retirou dos alimentos, mas de forma concentrada. Assim, é rico em microminerais, cálcio, aminoácidos e especialmente vitamina B.
Então, quando os coelhos expelem essa massa, eles reingerem assim que ela sai do ânus. Ela é expelida primeiro; depois, saem as fezes propriamente ditas, que eles ignoram.
Esse procedimento natural é normalmente feito à noite, que é quando o organismo dos coelhos providencia fezes – na verdade, cecotrofos – com mais muco nutricional. Por outro lado, coelhos ao ar livre, ou seja, soltos na natureza, são mais propensos à cecotrofia por uma série de condições de que coelhos domesticados não dispõem.

Quanto tempo vive um coelho?

De forma geral, os coelhos têm uma esperança de vida em torno de 6 e 8 anos, apesar de que alguns podem chegar a viver entre 10 e 12 anos. Quanto tempo vive um coelho depende de como os tutores cuidam dele, assim como as condições genéticas, uma vez que existem raças de coelho que têm uma expectativa de vida maior que outras.
Os coelhos selvagens têm a esperança de vida mais curta, entre 3 e 4 anos, pois são mais ameaçados por predadores e doenças não tratadas.

Diferenças entre fêmeas e machos

Não existe uma diferença comportamental entre os dois sexos caso você tenha apenas um coelho. Porém, se a intenção for mais de um bichinho, é preciso ter cuidado com algumas possibilidades.
Se forem dois machos, é provável que haja marcação de território através do xixi, o que pode ser um pouco difícil de controlar. Se for um par de fêmeas, o indicado é que ambas sejam colocadas juntas desde cedo, já que elas podem ser tão territorialistas quanto os machos.
As fêmeas dos coelhos ficam férteis só de estarem próximas de algum macho. Inclusive, algumas horas depois do parto já podem se tornar férteis novamente.

O espaço do seu pet

Apesar de serem animais pequenos, os coelhos precisam de espaço para se movimentar, correr e pular. Ainda que sejam pets que podem ser criados em apartamentos, ficar alojados em pequenos espaços pode resultar em problemas de saúde, como hérnia e bico de papagaio, por exemplo. Por isso, deixe seu amiguinho livre na maior parte do tempo para que ele possa crescer e se desenvolver de maneira saudável.
A gaiola é o ninho do seu coelho, onde ele vai dormir e passar a maior parte do tempo. Por isso, recomendamos que seja o mais espaçosa possível para que ele possa se movimentar mais e melhor. O tamanho está diretamente relacionado com sua qualidade de vida, por esse motivo aconselhamos que a gaiola para coelho tenha dimensão mínima de 80 cm2, situada sempre em um ambiente sem correntes de ar nem sol direto.
A verdade é que você poderá encontrar à venda gaiolas menores que não recomendamos, pois poderiam causar ansiedade no pet. Existem pessoas que até oferecem cômodos inteiros para suprir as necessidades genéticas de espaço.
Os coelhos são animais sociáveis e, se você planeja ter um casal, precisará ter um espaço de, pelo menos, 4 metros quadrados (como recomendam as associações de animais).

Tipos de gaiola para coelho

Tenha em conta que existem diversos tipos de gaiolas para coelho, por isso é importante que você escolha uma que seja adequada para você e para o seu pet.
Gaiola de interior: a maioria das gaiolas para coelho encontradas em lojas de animais são de interior, quer dizer, gaiolas para que você tenha dentro de casa. Você pode encontrar algumas gaiolas com portas mais amplas que outras, elas são as mais recomendadas pois permitem que o seu pet entre e saia da gaiola com mais facilidade.

Gaiola de exterior: por outro lado, se você está planejando ter o seu coelho no jardim ou em um espaço no exterior, você deve saber que existem gaiolas para coelho de exterior. A maioria dessas gaiolas não tem chão, isso significa que o pet pisará diretamente na grama ou terra do seu jardim. No entanto, esse tipo de gaiola é desaconselhada se o chão for de terra, pois o coelho pode comer terra ou pedrinhas sem querer.
Coelheira: caso você tenha adotado uma coelha grávida, é necessário que você tenha uma gaiola tipo toca. Assim, você vai oferecer o possível para que a futura mamãe se sinta confortável e possa manter os filhotes seguros.
Gaiola de grade: você também pode encontrar gaiolas com o chão feito de grade ou ferro. Esses tipos de gaiolas não são adequadas para os coelhos pois, além de não serem confortáveis, também não são muito higiênicas.
Gaiolas para transporte: essas gaiolas são utilizadas para facilitar o transporte do animal, por exemplo ao veterinário. Existem diversos tipos gaiola feitas de diferentes materiais, no entanto, as de plástico são mais recomendadas.
Gaiolas de madeira: apesar de serem muito bonitas, nem sempre são suficientemente grandes para deixar o pet confortável. Geralmente, esse tipo de gaiola costuma estar no exterior das casas, por isso é recomendado colocar um cercado ao redor da gaiola para deixá-la aberta e, assim, oferecer um espaço ainda maior para o seu coelho.

A gaiola de coelho deve ter:

  • Bandeja para que ele possa fazer as necessidades e manter um ambiente limpo e higiênico. Nunca utilize areia de gato ou idêntica , uma vez que pode causar infecções. O tutor deve adquirir uma areia especial para coelhos disponível em qualquer loja de animais. A limpeza diária deve ser realizada com sabão neutro.
  • Bebedouro de pelo menos 1/2 litro. Você também pode utilizar um bebedouro que seja uma pequena tigela com água, embora seja menos recomendada pois irá sujar-se com mais facilidade e você terá que limpá-lo com frequência. Deve ter sempre água em abundância.
  • Dispensador ou tigela para a ração, o feno e as porções diárias de fruta e verdura.
  • Cama, toalha de algodão ou pano são alguns dos elementos onde o coelho vai descansar pela noite, embora muitos coelhos não entendam a função destes elementos e acabem fazendo as suas necessidades ali.
  • Madeiras para roer. Nunca devem ser tratadas, pois poderiam quebrar e criar um problema sério nos intestinos do coelho. Você deve optar por madeiras de árvores de frutas como por exemplo da maçã, laranja, etc, ou adquirir madeira de pinho sem estar tratada.

Alimentação e nutrição

É indicado que a base da dieta do coelho seja a de folhas e feno para uma nutrição saudável. Porém, é possível complementar o cardápio com um pouco de ração comercial, não sendo indicado generalizar a dieta do bichinho em um único tipo de alimento.
Frutas como morango, maçã, pêra e kiwi também podem fazer parte dos petiscos para dar ao seu pet.
A alimentação do coelho é específica para cada etapa da sua vida, pois as necessidades nutricionais vão mudando. No geral, você deve oferecer sempre esses elementos:

  • Feno: o seu coelho sempre deve ter feno à disposição, por isso é recomendável oferecê-lo em abundância. Uma vez que os dentes dos coelhos não param de crescer, eles precisam sempre ter algo para comer para desgastá-los. Além disso, o feno também traz inúmeros benefícios para a saúde gastrointestinal dos coelhos, já que ajuda a expulsar as bolas de pelo do estômago e mantém o sistema digestivo ativo.
  • Ração: a ração deve ser em grãos ou pellets e não deve conter sementes nem cerais adicionados. Na sua composição deve aparecer, pelo menos, 20% de fibra ou celulosa e, no máximo, 16% de proteína. A partir dos 6 meses de idade, o coelho não cresce mais, por isso a partir desse momento você deve dar apenas uma colher de sopa de ração para cada quilo do animal, evitando problemas de obesidade.
  • Verdura: com verduras, falamos de ervas frescas e folhas verdes, como folhas de cenoura, espinafre, aipo, endiva, dente de leão, etc.
    No caso dos coelhos jovens (entre os 2 e 7 meses), eles devem ter à sua disposição de forma ilimitada e em abundância todos os elementos anteriores, à excepção da fruta e verdura, que será racionada em pequenas porções diárias. É uma etapa de crescimento fundamental para o seu desenvolvimento e, além disso, é quando começam experimentar os frutos.

Alimentos que o coelho pode comer

A alimentação do coelho pode ser bem variada, contendo:

  • Frutas (sempre sem sementes) como por exemplo maçã, pera, pêssego, banana, melão, uva, laranja, etc. Ofereça pedacinhos pequenos, para que você entenda quais são as opções que o seu pet mais gosta.
  • Vegetais como por exemplo, endívia, couve, pepino, espinafres, cenoura, feijão verde, brócolis ou alfafa.

Alimentos que o coelho nunca deve comer

  • Sementes: deve evitar de todo o tipo, incluindo frutos secos, legumes e cereais
  • Vegetais: deve evitar a alface, couve-flor e salsa.
  • Alimentos para outros animais: como comida para gato ou cachorro.
  • Outros alimentos como: cozinhados, carne, queijo, lácteos, fruta em conserva ou em calda, incluindo o sal, açúcar ou cevada.
  • Alimentos tóxicos como: batata, cebola, alho, abacate, chocolate, folhas de tomate, legumes, folhas de chá, bambu.
  • Plantas tóxicas: poinsettias, beladona, fungos, samambaias, cactos, cravos, gerânio, carvalho, aloe vera, violeta, zimbro, visco, abrótea, carvalho.

Higiene e saúde

Para manter o seu coelho saudável é importante manter sua gaiola bem limpinha. Por isso, faça a limpeza frequentemente, não deixando acumular bactérias e mau cheiro.
Além disso, coelhos não podem tomar banho! A água pode fazer mal ao seu sistema imunológico. Caso ele se suje, pode-se usar um lenço umedecido em suas patas e área genital, mas nunca mais que isso.
Se, em um caso excepcional e o seu coelho se sujou muito, siga os passos seguintes:

  • Procure um local tranquilo para lavar o seu coelho, lembre-se que são muito sensíveis;
  • Nunca coloque o pet de boca para cima, isso causa estresse;
  • Encha um recipiente com água morna, que seja agradável para ele;
  • Utilize apenas água para lavar, no caso da sujeira não sair, você pode utilizar um xampu com pH neutro;
  • Enxague e seque.

Como escovar o pelo do coelho

Lembre-se que você deve escovar o seu coelho de forma habitual para eliminar o pelo morto e evitar que ele engula. Também é importante que utilize um corta unhas específico se vir que as unhas cresceram em excesso, sempre com cuidado.
Para escovar o pelo do seu coelho, você deve fazer movimentos suaves e com muito cuidado. Normalmente, as regiões mais difíceis para escovar são o ventre e a cauda, já que o coelho pode se mexer muito.

Como limpar a gaiola de coelho

É muito importante manter a gaiola limpa e os locais onde você brinca com ele. Para limpá-la profundamente, você pode utilizar um pouco de água sanitária ou vinagre de maçã, sempre com cuidado e mantendo o seu animal longe do local durante a limpeza.
A água sanitária e o vinagre de maçã são perfeitos para eliminar bactérias e o cheiro de urina do seu pet, por isso são um perfeito aliado caso você tente ensinar o seu coelho a fazer as necessidades no canto.

Atividade física do coelho

Como já referimos o coelho é um mamífero com uma atividade física elevada quando está em estado selvagem. Por esse motivo, um dos cuidados com coelho mais importante é deixar que ele saia da gaiola pelo menos duas vezes por dia, sempre sob a sua supervisão, já que pode roer cabos ou objetos perigosos para ele.
Você pode criar caminhos com elementos adquiridos na loja de animais ou que você mesmo pode fazer. Brinquedos de todo o tipo estão permitidos. Também é importante que o tutor passe algum tempo com ele e lhe dê carinho e atenção. Lembre-se que o coelho é um animal inteligente que pode aprender truques e ordens se você lhe dedicar tempo e paciência.

Leve o seu coelho para passear

Cada vez mais é possível encontrar nas lojas de animais coleiras para o levar o seu coelho para passear por um parque ou na praia. Tudo isso é importante para que ele cheire e desfrute do ambiente selvagem sem se perder.
Se você for levar o seu coelho para passear, coloque a coleira alguns dias antes dentro de casa para que, pouco a pouco, ele se acostume. Quando estiver fora, procure um local que seja tranquilo e longe de qualquer outro tipo de animal de estimação, como cachorros.

Saúde do coelho

Além da higiene diária, você deve consultar um veterinário de forma periódica para garantir o estado de saúde do seu pet. Os coelhos também precisam seguir um calendário de vacinação.
Se você é um tutor de coelho, deve saber quais são as 6 doenças mais comuns dos coelhos:

  • Resfriados: tal como as pessoas, os coelhos também sofrem de resfriados e podem contagiar-se uns aos outros. Os sintomas são os mesmos que no caso do ser humano (secretam líquido pelo nariz e espirram). Embora um resfriado seja de pouca gravidade, é importante cuidar dele, especialmente durante o tempo que estiver doente.
  • Fungos: os fungos são um problema sério que pode ser transmitido de um coelho para outro. Leve o seu pet o quanto antes ao veterinário perante a presença de um fungo. Costuma aparecer em exemplares jovens e detecta-se pela perda de pelo.
  • Coccidiose: aparece quando o coelho lambe o pelo sujo, bebe ou se alimenta de água em mau estado. Para evitar o aparecimento desta doença, tenha cuidado com a higiene da gaiola e dos utensílios. É um caso muito grave que pode causar morte do coelho. Os sintomas são a perda repentina de pelo e a diarreia. Leve-o ao veterinário com urgência.
  • Insolação: é muito comum principalmente em épocas de calor. Se você observar que o coelho respira profundamente de forma contínua, isso é o sintoma que indicará uma insolação. Não o leve ao veterinário a não ser que não melhore. Leve-o para um espaço fresco e tranquilo, aplique umas gotas de água na cabeça e axilas dele, pouco a pouco verá como irá melhorando.
  • Urina vermelha: se você observar urina vermelha mas não se tratar de sangue, não fique alarmado, deve ser porque você está oferecendo verdura verde em excesso. Procure dar-lhe água em abundância. Se, passadas 12 horas, o problema não melhorar, busque ajuda de um veterinário. Não confunda este problema com a urina com sangue, um problema mais sério que precisa de tratamento urgente e imediato.
  • Sarna: ácaros são pequenos insetos de cor vermelha que habitam os ouvidos dos coelhos, mas também é comum que apareçam nas patas ou na pele. A sarna mais comum é a que aparece nos ouvidos e que, em casos avançados, já aparece fora das orelhas. Consulte o veterinário para que saber qual o tratamento mais adequado para combatê-los. Além disso, você deve higienizar toda a gaiola e os utensílios com água fervente ou cloro e deixar no sol por, pelo menos, um dia.

Além disso, recomendamos a esterilização do coelho para evitar tumores quando alcançar a idade adulta e evitar a gravidez não desejada.
Um dos cuidados com coelho mais importantes é saber como atuar diante de uma doença. Agora que você já sabe isso, é importante ter em conta que deve levar o seu coelho ao veterinário caso ele apresente qualquer um deses sintomas:

  • Não comeu ou defecou em pelo menos 12 horas;
  • Não urinou em pelo menos 24 horas;
  • Não se mexe e parece muito apático;
  • Os dentes cresceram em excesso;
  • Pode observar muco nas fezes;
  • Grande dificuldade para respirar ou secreções;
  • Caiu e não se mexe;
  • Inclina a cabeça sem controle;
  • Convulsões;
  • Crostas dentro das orelhas.

Unhas e dentes

Eles são roedores e, por isso, só não estão mastigando quando estão dormindo. Ou doentes. Isso ocorre porque seus dentes crescem durante a vida inteira.
Isso é importante: nesse caso, roer ou comer é altamente necessário para que as pontas dos dentes crescidos não machuquem a boca. Se isso acontecer, seu coelhinho vai associar o ato de comer com dores e recusar alimentos. E isso é fatal. Se ficarem longo período sem roer – mais de 15 horas, por exemplo -, os dentinhos já começam a incomodar.
O mesmo acontece com suas unhas. Assim, procure manter pequeno espaço de chão rústico ou algum objeto que seus coelhos possam arranhar. É como eles lixam as unhas e evitam arranhões.

Imagem PetLove

 

Organismo frágil

Veja algumas condições que podem significar anomalias em coelhos. Assim, tão logo você perceba alguma, vai tomar a decisão correta.

  • Cabeça inclinada
  • Diarreia
  • Espirros constantes (eles espirram algumas vezes, mas a frequência pode ser indicativo de problemas)
  • Isolamento
  • Nariz constantemente molhado

Além disso, é preciso saber que coelhos soltam pelos facilmente. Assim, é necessário escová-los com certa frequência. Caso contrário, eles vão comer seus pelos e isso, infelizmente, é fatal em boa parte das vezes por causa da cecotrofia de que falamos acima. Excesso de pelo interfere no processo. Quando em vida selvagem, esses pelos se perdem na região, normalmente levados pelo vento.

Como pegar um coelho corretamente

Os coelhos não gostam de ser carregados no colo, já que assim se sentem inseguros. Você deve lembrar que, na natureza, quem os levanta são os predadores. Caso você precise segurar o seu animal de estimação, deve passar a mão pelo peito e pelas patas traseiras. Não deve agarrá-lo, apenas segurá-las um pouco para que ele note que não estão soltas no ar, quer dizer, para que eles entendam que não significa uma ameaça.

O que você NUNCA deve fazer:

Por outro lado, você nunca deve segurar o seu coelho das seguintes maneiras:

  • Pelas orelhas;
  • No pelo;
  • Pelas patas.

Segurar o seu coelho por algum desses locais pode causar graves traumas na espinha ou fraturas no seu pet. Além disso, você deve ter em conta que não deve ficar atrás dele, nem fazer movimentos bruscos, nem mesmo brincando, pois pode assustá-lo. Se isso acontecer várias vezes, pode gerar medo no seu pet e fazer com que ele não confie em você.

Curiosidades sobre coelho

Agora que você já sabe quais são os cuidados com coelho mais importantes, conheça também algumas curiosidades sobre o coelho:

  • A temperatura corporal deles costuma estar entre os 38ºC e os 40ºC;
  • A temperatura do ambiente deve rondar os 18ºC e os 21ºC;
  • Gostam de viver com outros membros da sua espécie;
  • Gostam da noite;
  • Alcançam a maturidade sexual entre os 3 e os 5 meses;
  • Observe-o e pese-o de forma semanal para verificar que está tudo bem.
  • Os coelhos fazem dois tipos de fezes, uma em formato de bolinhas e outras mais moles em forma de cacho. O coelho costuma comer estas últimas. Se você vir essas fezes na gaiola, isso pode ser um indicador de sobrealimentação.
  • O abacaxi e a papaia evitam as bolas de pelo no estômago.

Um coelho de estimação reconhece o tutor?

Os coelhos são animais muito inteligentes, além de reconhecerem os seus tutores, são capazes de reconhecer o seu próprio nome e aprendem a realizar diversos exercícios em troca de pedacinhos de fruta ou verdura. Por outro lado, os coelhos são animais muito sociais, adoram atenção e brincar com sua família humana. Se você passar bastante tempo com ele, dando muito carinho e amor, ele vai te reconhecer e também vai te procurar para brincar e pedir carinho.
Os coelhos sentem falta dos tutores se passarem alguns dias fora de casa, isso demonstra o quanto um coelho de estimação pode amar seu tutor.

Fertilidade e vida longa, isso é com coelhos

Bem, se há uma características dos coelhos que todo mundo conhece, essa é a capacidade de procriação. Quase ao mesmo tempo em que você dá uma piscada, nascem coelhos. Bem, guardado o sentido de exagero dessa comparação, é quase isso.
As fêmeas têm diversas ninhadas por ano. Quando se fala ninhada, quer dizer por volta de 10 a 15 novos coelhinhos para alegrar os ambientes. Elas forram algum espaço com o que tiverem à mão; na vida selvagem, usam gravetos e o próprio pelo.
Isso é interessante: na vida em floresta, as fêmeas dão à luz e procuram permanecer o menor tempo possível próximas aos filhotes. À primeira vista, pode parecer algo “desumano”, porém, é estratégia de defesa. Como se movimentam rápidas, chamam atenção de predadores, em especial os que voam. Então, ficando longe da ninhada, elas dificultam que animais percebam a presença dos filhotes.
Por outro lado, os filhotes crescem muito rápido. É uma das maiores taxas de crescimento corporal do mundo animal. Talvez também por isso é que coelhos são a terceira espécie mais presentes em abrigos animais, à disposição para adoção.

Reprodução e vida

Entre a fecundação e nascimento, passam-se normalmente 1 mês. A média de filhotes é 5, mas é possível chegar a 10 ou até mais. Nascem com olhos e ouvidos tapados e isso dura até por volta do décimo dia. O ninho foi preparado dias antes do nascimento, uma espécie de cova que a fêmea prepara. Tão logo nasçam, ela os acoberta com folhagens. Na vida selvagem, elas podem arrancar os próprios pelos para ajudar a esconder e aquecer as crias.
Com uns 15 dias, começam a explorar o ambiente ao redor. Já têm capacidade para cavar as próprias tocas.

Raças de coelhos

Há 28 espécies de coelhos conhecidas. Estão divididas entre 47 raças reconhecidas por associações e clubes de criadores. A divisão obedece, via de regra, ao parâmetro peso, ou seja, as raças são classificadas de acordo com a quantidade de quilos do animal.
Vamos ver algumas raças agora.

Fuzzy Lop
Nos anos 80, criadores cruzaram duas raças, a Angorá e a Holland Lop. O resultado foi coelhos graciosos, amorosos e peludos. Entretanto, por questões genéticas, as orelhas ficam a maior parte do tempo abaixadas. Isso dá aparência de eterno lamento, mas engraçadinha. Não deve ultrapassar 1,8kg.

Castor Rex
Há dois tipos de coelhos dessa raça: standart e mini. O primeiro chega a 5kg e o segundo, não pode passar de 2kg. Apesar do nome, tem variedade enorme de cores, incluindo vermelho. O que o torna destacável é a maciez dos pelos. É bastante agitado. Precisa estar em movimento por todo o recinto durante muitos minutos em algum momento.

Hotot
O famoso criador de coelhos francês, Eugenie Bernhard, desenvolveu essa raça no início dos anos 1900. Ela acabou ganhando status popular muito facilmente por conta de sua doçura e amigabilidade. É considerada por clubes de criadores como uma das raças mais atraentes e bonitas. Os exemplares são comilões ao extremo.
É realmente pequeno. Apesar disso, lembre-se de que todo coelho precisa de espaço.

Coelho Leão
Ele tem esse nome por conta de acúmulo de pelos no alto e nas laterais da cabeça. Por isso, precisa de escovação a fim de que os pelos não se engrunhem. Muitos clubes de criadores a têm como raça com características próprias. Seu peso fica entre 1,5kg e 2kg. A raça se apresenta em diversas cores.
Um dos atrativos dessa raça é o fato de gostar muito de colo. Assim, proprietários podem passar horas em carícias que o coelhinho vai ficar muito satisfeito.

Belier
O charme da raça são suas orelhas: compridas e normalmente caídas, como se fosse uma moldura para o rosto. O resultado disso é um ar de melancolia eterna. É raça realmente dócil, amigável. Diz-se que é uma das raças menos agitadas.

Flandres
Apesar do tamanho, é muito simpático e amigo. Dócil e sociável, é conhecido no mundo todo. Há indivíduos com mais de 13kg, mas a média é entre 9kg e 10kg. Sua silhueta longa e larga o diferencia das outras raças, além do tamanho, claro.
É amigo de outras espécies. Não raramente, veem-se pequenos animais interagindo com eles e até descansando sobre seu corpo.

Anões
Tem origem holandesa. A maioria dos indivíduos não passa de 1kg, mas alguns chegam a 1,5kg. A silhueta é arredondada, o que torna os coelhinhos ainda mais meigos.

Coelhos Chinchilas
Seu tamanho é médio, ficando entre 2,5kg 2 3kg. É meio atarracado e quase não tem pescoço. As orelhas estão sempre esticadas para cima. São extremamente gentis e inteligentes. Brincam o tempo todo. Por isso, é indicado para companhia de crianças.

Angorá inglês
É raça turca e não inglesa, como o nome pode indicar. E “angorá” é por conta da quantidade de pelos que envolvem os coelhos de forma tal que parecem uma bola de fios. Tanto que alguns criadores comercializam seu pelo, como no caso das ovelhas, pois eles são bem macios. Chegam a pouco mais de 3kg.

Toy (ou anão)
Sim, é bastante pequeno. Não chegam a 1,5kg. Por isso, são bastante conhecidos. Sua aparência é dócil e amiga e seu pelo é muito suave, quase como lã.

Desumanidade contra coelhos

Em certos locais do mundo, coelhos são a espécie que mais sofre abusos. São regiões em que violência contra animais é até cultural, o que, por si, já é absurdo.
Há fazendas espalhadas pelo mundo em que os coelhos permanecem trancafiados em gaiolas pelos primeiros meses de vida. Quando suas peles atingem certa espessura e qualidade, são simplesmente arrancadas. E eles ainda estão vivos.


Criadores inconscientes e mercenários alegam que coelhos já são abatidos para servir de alimentos em restaurantes de renome. Assim, estariam apoiados eticamente em seu comércio. O problema não é uso da pele de coelhos em si, mas como o processo é feito.
Na França, quase 80 milhões de coelhos são sacrificados por ano para comércio de pele. Para você ter uma ideia, é preciso matar mais de 30 coelhos para se produzir um casaco de tamanho médio (no caso de arminhos e chinchilas, são mais de 100).
Os animais permanecem em gaiolas muito pequenas. Assim, “acomodam” muito mais indivíduos. Dessa maneira, não podem escavar ou roer, como é seu hábito natural. E necessário, como vimos acima, para manterem a saúde dos dentes e unhas. São mal alimentados, não brincam, não se movimentam.
Quando suas peles não são simplesmente retiradas estando eles vivos, recebem forte golpe no dorso. Assim, a coluna vertebral é esmagada e eles morrem.
Há campanhas de organizações protetoras de animais que lutam contra essa situação. No Brasil, existem leis que proíbem maus tratos, mas infelizmente não há vontade política para aumentar o sistema de fiscalização. Dessa forma, os animais permanecem à mercê de comerciantes assassinos.
É por isso que sua interferência é necessária. Participe de campanhas, de abaixo-assinados, busque informações, divulgue informações.

 

Fontes: Folha Vitoria, Pet Love, Perito Animal e Vida Animal

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.