Aves, Bicho, Dicas, Fatos e Curiosidades, Pet

Calopsita: Dicas e curiosidades sobre essa ave tão fascinante!

A calopsita é uma ave muito procurada como animal de estimação. Curiosa e super inteligente, quando criada desde nova no bico, ela fica bastante mansa e também pode aprender vários truques e assovios.
Contudo, como esse não é um pet tão comum (tal qual os cães e gatos), é preciso atenção redobrada, garantindo que a calopsita se desenvolverá saudável e feliz.

Origem da calopsita

A calopsita é originária da Austrália e, atualmente, sua presença está disseminada por todas as partes do planeta.
É uma ave do gênero psitacídeo, o mesmo das araras, cacatuas e papagaios, tendo fortes características dessas espécies, inclusive em seu comportamento extrovertido.
São extremamente apegadas aos seus donos, exigindo grande atenção desses e, sendo assim, requerendo muita dedicação para que sejam dóceis e divertidas.

Características principais da calopsita

A calopsita é um pássaro extremamente inteligente, possuindo grande habilidade para realizar imitações de sons repetitivos, cantar e se comunicar com o dono.
Medem aproximadamente entre 30 e 32 centímetros. Podem viver por até 25 anos e, dessa forma, o dono deve estar preparado para essa convivência mais intensa, tendo que avaliar inclusive sua própria disponibilidade para a tarefa de criação. Em momentos de viagem, por exemplo, deve pensar em qual destino dar para a ave, pensando sempre em sua segurança.
São aves muito independentes e gostam mais de viver em liberdade e não somente em gaiolas, são apegadas ao dono e o seguirão pela casa, demonstrando dedicação e companheirismo.
É aconselhável que seja adquirida uma companhia para a ave, para que seja possível dividir sua atenção.
As fêmeas têm, como características, as asas abertas, cabeças para baixo e traseiro empinado. Podem botar ovos, independentemente de relações com machos e, normalmente, nesses casos, não geram filhotes.
Os machos, quando excitados, podem se masturbar, sendo totalmente normal esse comportamento e um alerta de que devem cruzar. Esses pássaros usam arrepios nas suas costas e logo a seguir um sacolejo, indicando que estão eliminando tensão ou querendo se aproximar de uma fêmea.
Calopsitas ficam muito excitadas pela manhã e tendem a se manter ativas querendo voar, cantar e brincar, demonstrando alegria por acordar.
Seus piados demonstram algumas condições e devem ser observados:

  • Altos e gritando – algo está incomodando a ave e só parará quando a situação for resolvida;
  • Baixos – normalmente por medo e insegurança, devendo ser dada atenção e apoio ao animal.

Calopsitas tendem a ter comportamento bastante ativo, então, caso note que está quieta ou em um canto, ajuda veterinária deve ser obtida para diagnosticar se ocorre algo indevido com a ave.

Cuidados com calopsita

Ter cuidados com o ambiente em que a calopsita ocupa, manter um horário de sono adequado e atenção à saúde da ave. Esses são os principais cuidados que se deve ter, além, é claro, de dar atenção e carinho.
Ter cuidado com a higiene, tanto da ave como da gaiola – ou local onde está –, é uma atitude que favorece bastante a saúde do animal. Manter limpos poleiros e locais de alimentação é importante e fundamentais para que sua ave seja saudável.
Apesar dos dejetos de aves não serem tão desagradáveis no cheiro como os de outros animais, isso não quer dizer que a gaiola delas deva ser limpa com menos frequência. “A higiene tem que ser feita regularmente, principalmente para evitar que a calopsita adoeça por contaminação e acúmulo de bactérias, tanto no comedouro quanto na própria gaiola”, conta a veterinária.
Manter uma rotina de horários de sono para esses pássaros é determinante para calopsitas mais ativas. Ter um ambiente tranquilo e calmo com uma duração de sono de até 12 horas é importante para sua ave.
As aves também dormem, como qualquer outro animal. Porém elas precisam de um local apropriado para manterem seu sono balanceado. “Importante ter um local tranquilo, longe das oscilações de temperatura e de luz. Isso serve para que elas cresçam fortes”, explica. Se não possuir um lugar sem mudanças de luz em casa, procure cobrir a gaiola com um tecido escuro quando o sol se por.
Procure veterinários com experiência em cuidar de animais silvestres e faça consultas periódicas.

Alimentação para calopsita

A calopsita deve possuir uma alimentação saudável, com uso de sementes de qualidade, rações e alimentação natural, utilizando legumes, verduras verde-escuras e frutas.
Administrar refeições de vários tipos de sementes é indicado para esta ave, incluindo painço, alpiste, aveia, arroz e girassol.
Apesar de gostarem de sementes , frutas e legumes, estas aves precisam de nutrientes específicos que estão presentes em rações próprias. Como a calopsita não viverá solta na natureza, onde ela buscaria alimentos com as propriedades certas para manter-se saudável, a responsabilidade de prover uma alimentação correta é do tutor.
“O alimento dos seus pets deve ter níveis nutricionais adequados, como as rações peletizadas, que são parecidas com rações de cão e gato, além de sementes devidamente higienizadas, frutas, verduras e legumes”, explica Stephanie. Vale lembrar que a variação na dieta do animal depende do paladar dele.
A veterinária ressalta também a importância da água, que deve ser sempre filtrada e fresca, para incentivar o animal a ingerir líquido e não desidratar.

Se você está pensando em criar essa ave, continue a leitura e veja as principais informações, dicas e orientações que separamos!


A calopsita é “prima” das araras

Ela é uma ave do gênero psitacídeo (também chamados de “bico torto”), o mesmo das araras, cacatuas, periquitos e papagaios.
Entre as características mais marcantes dos psitacídeos está o fato de eles possuírem a capacidade de imitar com facilidade vários tipos de sons.

As calopsitas são muito apegadas aos donos

Se você está pensando em criar uma calopsita mas não tem muito tempo disponível, talvez seja melhor rever essa decisão.
Isso porque essa é uma ave sociável e que costuma se apegar bastante ao seu dono, exigindo muita atenção e cuidado para que se tornem aves dóceis e divertidas.
Quando ela não recebe atenção necessária, pode mudar o seu comportamento, se tornando arredia e até bicando as pessoas.
Manter a calopsita na gaiola o dia todo é extremamente prejudicial para a saúde e socialização delas. Se não tiverem contato e atenção do dono, a ave pode ficar agressiva, e o processo para amansá-la é muito mais difícil do que se ela tivesse sido acostumada desde filhote. “O entretenimento da ave é fundamental para sua expectativa de vida. Além disso, elas precisam de carinho e brincadeiras, e assim podem se tornar companheiras leais para seus tutores”, finaliza Stephanie.

Calopsita não é tudo igual

Ao contrário dos cães e gatos que possuem diferenciação por raças, o que muda nas calopsitas são as cores que podem ser encontradas tanto na natureza como devido à mutações genéticas desenvolvidas em cativeiro.
Basicamente existem 3 tipos de calopsitas: comum, de cara branca e albina. A comum possui o rosto amarelo e as bochechas laranjas e o corpo pode ser lutina (branco), cinza, canela (cinza amarronzada) e pérola.
A de cara branca não possui os tons de amarelo e laranja, seu corpo é todo cinza e o rosto é branco. E a albina é a mais rara. Ela é totalmente clara, com olhos avermelhados e pés rosados.

Essa ave não gosta de viver engaiolada

Em geral, a calopsita é uma ave que gosta de passar várias horas por dia fora da gaiola (a não ser que seja criada desde cedo apenas dentro da gaiola).
Então, quando for comprar a sua ave, garanta que há segurança suficiente no espaço onde ela ficará para passar algumas horas por dia solta.
Nesses momentos, aproveite para brincar, fazer carinho e ensinar alguns truques à sua ave.
Apesar de ser uma ave de tamanho pequeno, as calopsitas precisam de uma gaiola que comporte suas asas abertas, e que tenha bastante espaço para movimentação. A veterinária Stephanie Tomsic explica também que muitas vezes os donos optam por ter mais de uma calopsita, mas não compram uma gaiola grande para as duas. “Um erro muito comum entre os novos donos de calopsitas são as gaiolas pequenas para mais de uma ave”, revela.

Atenção à temperatura ambiente

O calor ou o frio em excesso podem deixar a sua calopsita doente, por isso tome cuidado em relação ao ambiente onde a gaiola ficará.
Garanta que não bate sol direto na gaiola e nem que a área é muito quente.
No verão, é bom ventilar o espaço e sempre oferecer água fresca a sua ave.

Calopsita pode ser adestrada

As calopsitas precisam ser treinadas para se manter dóceis. Isso deve acontecer até o primeiro ano de vida da ave. Para isso, é necessário que o tutor passe mais tempo ao lado de sua amiga, conversando e fazendo contato com ela, para que o animal se sinta confortável em sua presença.
Essa é uma ave extremamente inteligente e com um pouco de dedicação e carinho ela poderá ser facilmente adestrada.
Mas, para isso, é preciso ter paciência e programar treinos curtos, já que o tempo médio de atenção das aves é de 10 a 15 minutos.
Algumas dicas valiosas são: sempre se aproxime lentamente, chame a sua calopsita pelo nome, faça cafuné na cabeça da ave se ela deixar, converse diariamente com a sua calopsita, nunca a deixe só por muito tempo, brinque bastante, comece a imitar o que ela estiver fazendo, tire a ave da gaiola todos os dias e dê uma recompensa cada vez que ela fizer algo positivo. 
Os machos costumam ser mais aptos a assoviarem e, eventualmente, até a falarem, mas as fêmeas também podem aprender alguns truques.
Para ensinar a sua ave a falar, é preciso conversar com ela todos os dias e repetir as palavras que você deseja que ela aprenda.
Sempre que a calopsita tentar falar uma frase ou palavra, dê uma recompensa. Para ensinar a assoviar, faça o mesmo processo.

Calopsitas manejadas erradas podem sofrer

Se a sua calopsita ficar sozinha durante muito tempo, não tiver uma gaiola adequada ou uma boa alimentação, por exemplo, ela poderá desenvolver vários problemas de saúde física e mental.
Alguns problemas comuns são: ganho de peso devido à falta de exercícios, estresse gerado pelo confinamento e inatividade (a ave pode arrancar as penas, gritar ou ficar agressiva), postura crônica de ovos, crescimento anormal de unhas e bicos (por falta de desgaste), entre outros.
Se você notar esses problemas, revise a forma como tem cuidado da sua ave.

Calopsita não transmite doença

Quando falamos em criação de aves como animais de estimação, ainda existem muitos mitos.
Um deles é que a calopsita pode transmitir toxoplasmose. Isso não é verdade e também não existe nenhum problema em ter uma calopsita enquanto estiver grávida.
A única doença que a ave pode transmitir ao homem é a Clamídia. Assim, ao comprar a sua calopsita, peça ao seu veterinário para realizar o exame de Clamidiose.

A crista da calopsita indica como está o seu ânimo

Quem tem uma calopsita já deve ter observado que ela movimenta bastante a crista (o topete) durante o dia.
Quando a sua ave está calma, ela deixa as peninhas para baixo, mostrando que está relaxada e tranquila.
Agora se as penas ficarem para cima, a ave poderá estar sinalizando incômodo, como estar assustada, eufórica ou muito animada.

A calopsita é monogâmica

Outra curiosidade bem bacana é que a calopsita só tem um parceiro para toda a vida.
Geralmente, quem escolhe o parceiro é a fêmea e esse não é um processo muito fácil.
Como as calopsitas são muito rigorosas, elas podem demorar anos até formarem um casal – mas depois elas são bastante fiéis e não trocam de parceiro durante toda a vida.

Não é muito fácil descobrir o sexo da calopsita

Será que sua calopsita é macho ou fêmea? Embora existam alguns “truques” na internet, é impossível descobrir isso só olhando para as suas penas.
A melhor forma de descobrir isso é fazendo um teste de sexagem.
Outra dica é observar o comportamento, já que os machos costumam aprender a cantar com mais facilidade, enquanto isso é muito mais raro nas fêmeas.

Compre os itens necessários para a sua ave

Além da gaiola, você deverá providenciar outros itens para que sua calopsita se desenvolva bem e saudável.
O mínimo necessário é: 1 tigela de água e 2 de comida (alimentos secos e úmidos precisam ser servidos separados), 1 capa de fundo de gaiola, vários poleiros dentro da gaiola e alguns brinquedinhos para ela se distrair.
Os brinquedos podem ser trocados semanalmente para que a calopsita não perca o interesse.

Dê tempo para o novo filhote se acostumar a sua casa

Quando você comprar uma calopsita, dê um tempo para que ela se acostume à sua casa.
Se ele foi criado no bico quando filhote, essa adaptação será mais rápida – em torno de algumas horas.
Caso contrário, o pássaro precisará de 2 a 3 dias para se ajustar ao novo lar. Nesse tempo, não manuseie a calopsita, mas, é claro, ofereça comida, água e uma gaiola bem limpinha.

Fique atento aos problemas de saúde da sua ave

Infelizmente, as calopsitas também podem ficar doentes e é importante que você saiba reconhecer sinais que necessitam de atenção.
Alguns sintomas de uma ave doente são: mudanças no comportamento (pode tentar te bicar ou ficar mau humorada), perda de peso ou de apetite, rejeitar comida e água, tosse, respiração irregular ou espirros, olhos ou narinas inflamados e com crostas, cauda suja, olhos embaçados e cabeça, asas ou caudas pendentes.
Se notar alguns desses sinais, leve a sua ave imediatamente ao veterinário. E, claro, sempre faça check-ups periódicos.

Calopsitas podem sofrer com terror noturno e pesadelos

Esse é um problema muito comum dessas aves e algumas calopsitas podem ter medo do escuro, sofrendo um processo chamado de terror noturno.
Basicamente, ele consiste em bater as asas freneticamente dentro da gaiola durante à noite, levando a machucados.
Outra das curiosidades sobre calopsitas é que essas aves podem ter pesadelo. Isso acontece por conta de sombras, barulhos e, até mesmo, insetos, que podem assustar o pequeno animal enquanto ele dorme. Para que seu bichinho não sofra com isso, procure manter sua gaiola em um local tranquilo e coloque uma luz noturna no cômodo onde a calopsita vai dormir e não cubra a gaiola totalmente à noite.

Atenção com o acasalamento

As calopsitas podem se reproduzir desde o primeiro ano de vida e em qualquer época do ano. Contudo, o mais indicado é realizar de 2 a 3 ninhadas por ano, para não leva-los à exaustão.
As fêmeas e os machos chocam os ovinhos e em uma ninhada, a fêmea poderá botar entre 4 a 7 ovos.
O período de incubação varia entre 15 a 20 dias e os filhotes vivem com os pais, pelo menos, até completarem 60 dias.

Em alguns casos, elas podem escolher o dono

Você foi lá, comprou a sua calopsita, cuidou com todo amor e carinho, mas ela parece gostar menos de você do que de outro membro da família?
Em alguns casos, isso pode acontecer. Assim como os cães, as calopsitas podem escolher uma pessoa para ser o “líder do bando”.
E nesse caso, elas vão seguir essa pessoa e dar a ela mais atenção – independentemente de quem a tenha comprado, ensinado os truques e cuidado.

Calopsita pode ‘falar’ com você por gestos e expressões

Para ser um bom tutor, é preciso reconhecer alguns trejeitos do seu animal. Uma calopsita gritando muito, por exemplo, pode estar se sentindo sozinha, estar com medo, com fome, estressada ou com medo.
Se a sua ave começa a dar pequenas e várias bicadinhas no seu dedo, ela pode indicar que está um pouco chateada com você. Já se ela começar a abrir o bico e “soltar o ar”, pode estar brava e sinalizando que está se defendendo.

 

Fontes: Canal do Pet, Portal dos Pássaros, Blog Petz e Tudo Especial

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.